"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Património Material

Igreja Matriz de Oliveira do Hospital

Distrito: Coimbra
Concelho: Oliveira do Hospital

Tipo de Património
Património Material
Classificação
Em vias de classificação
Proteção Jurídica
Identificação Patrimonial
Conjunto
Época(s) Dominante(s)
Medieval, Moderna
Tipologia original
Arquitectura Religiosa - Igreja
Estilo(s)
Românico, Gótico, Barroco
Áreas Artísticas
Arquitectura Religiosa, Escultura
Uso atual
Culto Religioso
Descrição

A igreja paroquial tem como titular a exaltação da Santa Cruz. Originalmente românico-gótica, sofreu grandes transformações em meados do séc. XVIII, 1751, conservando no conjunto, porém, três capelas dos séculos XIII e XVI. A Capela dos Ferreiros, que tem como titular tradicional Nossa Senhora da Graça, gótica, a Capela de S. Brás e Senhora da Piedade, de 1571, gótica, e a Capela de Nossa Senhora da Expectação, do séc. XVIII.

A fachada da igreja mostra os cunhais em forma de pilastras, ligados por cornija adintelada, a qual separa a secção alta que forma a empena. A porta, de verga curta, entre duas pilastras ladeadas de altas aletas, forma um conjunto com a sacada do coro. Esta possui bacia arredondada e balaústres, com nichos vazios a ladeá-la. A linha da empena, de cantaria, segue um traçado mistilíneo e forma, sob a cruz, pequeno remate. A torre, à esquerda, levemente recuada, tem a composição arquitectónica estudada com a da fachada, dividindo-se em três corpos. Mostra remate piramidal anelado, podendo ser mais tardia a parte alta.

O púlpito, setecentista, assenta a bacia de pedra sobre consolas unidas.
Os tectos são de madeira. O do corpo apresenta-se pintado de perspectivas arquitectónicas e com figuras, representando o conjunto a "adoração do Cordeiro", pinturas de nível artificianal, mas interessantes. A parte correspondente ao coro está sem pintura, em virtude da reforma.
O retábulo principal, de madeira entalhada e policroma, é de quatro colunas torcidas, com grinaldas no cavalo delas, do princípio do séc. XVIII. A tela da "Invenção da Cruz" é do mesmo século e inferior. Junto há uma credência de madeira dourada, em concheado setecentista.
Os retábulos colaterais do arco cruzeiro, igualmente de madeira e policromados, de duas colunas, movidos, são obra corrente do fim do séc. XVIII.
Os arcos de pedra que se abrem fronteiros, nos ombros do corpo a que pertencem as capelas, são redondos, de arestas chanfradas, do tipo da primeira metade do séc. XVI. São eles tudo quanto resta dessa época, tendo sofrido as capelas várias reformas posteriores.
A Capela de São Brás e de Nossa Senhora da Piedade contem um letreiro esclarecendo a sua fundação - 1571 - e quem assumiu a sua construção - o Licenciado Melchior Fernandez.
O seu tecto, em painelados de madeira, apresenta, pintados nestes, bustos dos profetas segurando rótulos com emblemas, pinturas setecentistas e secundárias. O retábulo, de madeira dourada, compõe-se de colunas torcidas e com pâmpanos, do fim do séc. XVII, nele se encontando as esculturas dos dois titulares, anteriores à fundação pia, ambas de calcário e correntes: Nossa Senhora da Piedade, do meado do séc. XV e São Brás, gótica também, dos séc. XV-XVI.
A capela fronteira, à epístola, é dedicada a Nossa Senhora da Expectação. Tecto de madeira, pintado de perspectiva arquitectónicas, que mostram Nossa Senhora da Assunção ao centro, santos aos lados e havendo anjos segurando rótulos com emblemas. Obra de nível artificianal, do séc. XVIII. O retábulo é de madeira policromada, de nicho e duas colunas, do final do séc. XVIII, corrente, apresentando esculturas de madeira policromada, da segunda metade setecentista, de tamanho médio e vulgares. São elas a Virgem com o Menino, São Domingos e São Francisco. Foram-lhe aplicados, há alguns anos, azulejos do meado do séc. XVIII, de fabrico de Coimbra, a azul com o soco a roxo. Em frente à entrada recorta-se um arco tumular simples. A arca é desordenada. Contém os restos mortais de Jorge de Faria Garcês, com letreiro inscrito em três locais, cuja (difícil) interpretação indica, além do culto religiosa a que a capela ficava submetida, a data da construção - 1614 - e quem a mandou fazer - Jorge de Faria Garcês, Fidalgo da Casa de Sua Majestade.
Mas a capela de maior significado histórico incluída no conjunto edificado da Igreja Matriz é, sem dúvida a Capela dos Ferreiros.

in Oliveira do Hospital - roteiro turístico

Morada
Largo Conselheiro Cabral Metelo
3400
OLIVEIRA DO HOSPITAL
Bibliografia
Oliveira do Hospital - roteiro turístico, Serra do Açor - Associação de Desenvolvimento Regional, [s.d].

Data de atualização
21/08/2008
Agenda
Ver mais eventos

Passatempos

Passatempo

Ganhe convites para o concerto de Kassin

Em Espinho, Kassin mostrará em palco o seu novo disco, viajando entre o samba, os ritmos latinos, a pop brasileira, a soul e o funk. Participe neste passatempo, promovido em parceria com o Auditório de Espinho, e habilite-se a ganhar convites duplos!

Visitas
40,803,666