"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Exposições

"Manifesto" de Arnaldo Macedo e Kaiser

A Galeria Vieira Portuense apresenta a exposição de Arnaldo Macedo e Kaiser, que ficará patente ao público de 12 de janeiro a 2 de fevereiro de 2019.

12 Jan a2 Fev

Galeria Vieira Portuense
Largo dos Lóios, 50

Portugal

Excertos do “Manifesto do anartista”
“Um anartista será um anormal que, como vulgarmente são entendidos os anormais, não faz nada como normalmente os artistas fazem (…)”

“São os estudiosos das artes como os índios que, perante a projecção de um filme sobre uma grande metrópole, não reagem a não ser quando observam em trânsito num passeio apinhado de gente estranha uma bem familiar galinha, a única coisa que os liga a esse mundo desconhecido.”

“Há, naturalmente, nesta apreciação crítica ao anartista o maior elogio à sua arte, ou anarte, sendo esta a arte que nega a arte, como a anti-filosofia é a filosofia que nega a filosofia.”

“Os artistas vivem no mundo dos artistas, numa espécie de éden onde todos andam nus e desconhecem a existência do lado de fora do jardim de onde nunca saíram, coitados, foram lá colocados e ninguém lhes disse que podiam sair e como rejeitam, como os índios, o que desconhecem, negam a existência da arte anedénica, talvez porque nunca comeram uma maçã.”

“José Régio afirmou no seu “Três ensaios sobre arte” que a arte é a “criação consciente de beleza”. Na minúscula ilha do Pacífico, arte é a “criação obediente de beleza.”

“Concluo que é claro que o anartista não tem pátria nem partido, mas as suas obras poderão revelar a pátria que não o possui e o partido a que não se filiou.”

“Com “anarquista”, o anartista sente uma ligação fraternal, acreditando ter sido parido por mesma mãe e de ter sido concebido por mesmo pai. “

“O anartista é o anarquista da arte e, tal como o anarquista, ainda ninguém o foi capaz de classificar como uma gema de incalculável valor porque só são capazes de classificar as pedras que já identificaram e só valorizam as que são lapidadas como já viram fazer.”

No sábado seguinte à inauguração, dia 19 de janeiro, teremos a sessão de POESIA NA GALERIA, pelas 16h00, para a qual está convidado/a.

A exposição poderá ser visitada: segunda-feira das 14h00 às 19h00 e, de terça-feira a sábados das 9h30 às 12h30 e das 14h00 às 19h00, até 2 de fevereiro de 2019.

Galeria Vieira Portuense
Telefone: 222005156
www.galeriavieiraportuense.net
galeriavieiraportuense@gmail.com
https://manifestodoanartistanavieiraportuense.blogspot.com/
Agenda
Ver mais eventos
Visitas
39,374,019