"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Património Material

Monumento a Duarte Pacheco

Distrito: Faro
Concelho: Loulé

Tipo de Património
Património Material
Identificação Patrimonial
Elementos Singulares
Época(s) Dominante(s)
Contemporânea (Séc. XX)
Valor patrimonial
Valor de Memória
Descrição

Comparticipado pelo Estado e pelos municípios, este Monumento, erigido numa zona de expansão da cidade de Loulé, enquadrado por um projetado parque municipal, destinou-se a perpetuar a memória de Duarte Pacheco (1900-1943), louletano que foi Ministro das Obras Públicas durante o Estado Novo e faleceu no acidente de viação em 16 de Novembro de 1943.

Cottinelli Telmo foi o primeiro a esboçar uma proposta para o monumento a erigir, no entanto, com a sua morte, em 1948, Cristino Silva ficou encarregue de apresentar um novo projeto.

Entre 1949 e 1952, o projeto estagnou, contudo, neste último ano avançaria definitivamente.

O trabalho resultou da articulação entre várias entidades: a Câmara Municipal de Loulé e a Direcção dos Serviços de Melhoramentos Urbanos, adstrita à Direcção Geral dos Serviços Urbanos. Ao topo deste projeto articulado estava o Ministério das Obras Públicas. O trabalho realizou-se num prazo de 17 meses e a obra estaria concluída pouco antes da data do 10º aniversário do falecimento de Duarte Pacheco.

Cristino da Silva concebeu um monumento esquemático: uma coluna sólida, com 5 metros de diâmetro e 17 metros de altura como símbolo da gigantesca obra realizada pelo eminente Ministro. O aspeto inacabado e fraturado da coluna seria uma alegoria plástica à vida e obra interrompidas tão abruptamente. Na base da coluna voltada ao eixo da praça, foi colocado um plinto com um baixo-relevo em bronze com a efígie do ministro. Esta foi ladeada por duas palmas de glória esculpidas na pedra. Assente sobre plataforma circular de 30 metros de diâmetro e emoldurada por muro de suporte semicircular com 4 metros de altura e dupla escadaria lateral, a coluna monumental foi ornada com baixos-relevos representativos das infraestruturas com que Duarte Pacheco dotara o país. No muro encontra-se gravada a frase de Salazar (a palavra Salazar foi eliminada em 1976) “Uma vida velozmente vivida e inteiramente consagrada”.

O monumento foi inaugurado a 16 de Novembro de 1953, precisamente 10 anos passados sobre a morte do homenageado. Em 2000 foi alvo de uma operação limpeza e restauro. Situa-se no topo da Avenida 25 de Abril, antiga Avenida General Carmona.

Fonte de informação
Câmara Municipal de Loulé
Bibliografia

ALMEIDA, Sandra Cristina de Jesus Vaz Costa Marques de, O País a régua e esquadro: urbanismo, arquitectura e memória na Obra Pública de Duarte Pacheco. [s.l.], [s.n.], 2009, p. 45-48.

PALMA, Jorge Filipe, A consagração nacional de Duarte Pacheco: A construção do Monumento de Loulé.

TINOCO, Teresa, Preservação e valorização do Património Cultural dos Espaços Públicos: A estatuária contemporânea do Concelho de Loulé. Loulé, [s.n.], 2005.

CARRUSCA, Susana, Loulé: O património artístico. Loulé, Câmara Municipal, 2001, p. 149-150.

Data de atualização
14/08/2015
Agenda
Ver mais eventos

Passatempos

Passatempo

Ganhe convites para o concerto de Jozef Van Wissem

Em parceria com Auditório de Espinho, temos convites duplos para assistir ao concerto de Jozef Van Wissem, no próximo sábado (27 de maio) às 21h30. Findo o passatempo, anunciamos aqui os nomes dos felizes contemplados.

Passatempo

Ganhe 1 bilhete duplo para o concerto do Momo!

Momo anuncia dois concertos de lançamento de “Voá” em Lisboa e Porto, dias 27 de maio no Maus Hábitos, no Porto, e dia 2 de junho na Casa Independente em Lisboa.Em parceria com a Universal Music, temos convites duplos para oferecer! Passatempo encerrado. Anunciamos aqui os nomes dos vencedores.

Visitas
31,082,636