"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Festivais, Festas e Feiras

O Temps d’Images regressa a Lisboa para a sua 15ª edição

O cruzamento das artes do palco com as da imagem para conhecer ao longo de quase dois meses na cidade de Lisboa.

13 Out a5 Dez

Vários espaços de Lisboa

15ª edição do Festival Temps d’Imagesque se realiza entre 13 de outubro e 5 de dezembro 2017, apresenta 26 eventos, entre espetáculos, sessões de cinema, exposições, instalação e um lançamento de livro, e reúne 37 artistas e coletivos nacionais e internacionais, em 13 espaços da cidade e Lisboa.

Merci – a Antestreia”, de Sara Vaz, é o espetáculo inaugural deste Temps d’Images 2017 com apresentações de 13 a 15 de Outubro no Teatro da Trindade. Também neste espaço, Pedro Penim apresenta ao público, no dia 25 de outubro, o espetáculo “Before”, uma viagem a lugares nostálgicos, que podiam ser Portugal. Nos dias 10, 11 e 12 de novembro Cátia Pinheiro, José Nunes e André Godinho apresentam “ The End”, um espetáculo  que cruza as linguagens do teatro e do cinema.

Miguel Bonneville regressa ao Festival com a estreia de “A Importância de Ser Paul B. Preciado” nos dias 25 a 28 de outubro, na ZDB Negócio, e volta a apresentar o seu “Chérie, Chéri” em sessões individuais, no clube de sexo Mise en Scène.

Entre os grandes destaques da programação deste ano, encontra-se o projeto Feedback ? criação. O Teatro Maria Matos e o Temps d’Images convidaram três artistas/coletivos portugueses para integrarem um processo de feedback continuado, em paralelo com o processo de criação das suas obras: Teresa Silva & Filipe Pereira, Catarina Vieira e Plataforma285. O feedback acontece em momentos chave do processo por um grupo constituído pelos próprios artistas, convidados seus e colaboradores do Temps d’Images e do Teatro Maria Matos. Teresa Silva e Filipe Pereira já concluíram o percurso e apresentam agora, no contexto do Temps d’Images, a peça "Nova Criação" na sua forma final, no Maria Matos, nos dias 3, 4 e 5 de novembro. Catarina Vieira e Plataforma285 apresentam um work-in-progress com sessão pública, antes de avançarem para a última etapa de ensaios, que culminarão na estreia das obras no Teatro Maria Matos em, respetivamente, janeiro e fevereiro de 2018: “Chego Sempre Atrasada aos Funerais Importantes” no dia 6 de novembro, na Rua das Gaivotas 6, e “You Need Heart to Play This Game” no dia 13 de novembro, na Fundação Leal Rios. 

Mantendo a linha distintiva do Festival, que procura possibilitar a partilha, visibilidade e circulação de novos trabalhos e artistas, esta 15ª edição aposta em nomes como Henrique Furtado e Alaoun Marchal, que apresentam “Bibi Ha Bibi”, um espetáculo de dança e performance na Rua das Gaivotas 6, onde também se apresentará  “O Criado”, de André Murraças. Na Biblioteca de Marvila é apresentado o espetáculo “We Are Not So Pretentious”, de António Torres, Bárbara Carlos & Maurícia Neves, nos dias 17 e 18 de novembro.

Uma das novidades deste Festival é o lançamento do livro de Raquel André, “Colecção de Amantes – Vol. I”, uma aposta na edição em co-produção com o Teatro Nacional D. Maria II. Raquel André apresenta ainda no Teatro Nacional os espetáculos “Coleção de Colecionadores”, de 2 a 12 de novembro, e “Coleção de Amantes”, de 15 a 19 de novembro. O encenador iraniano Amir Reza Koohestani apresenta em Portugal pela primeira vez o espetáculo "Hearing", nos dias 1 e 2 de dezembro, no Teatro Nacional D. Maria II.

No São Luiz Teatro Municipal, de 27 a 29 de outubro, é apresentado “Antropocenas”, uma colaboração entre Rita Natálio e João dos Santos Martins, com a contribuição de diversos agentes nas áreas da ecologia, dança, antropologia e artes visuais.

Destaque ainda para as estreias de “No Intervalo de Uma Onda”, de Rafael Alvarez, de 1 a 4 de novembro, na ZDB Negócio, e “Apagão” de David Marques e Tiago Cadete, nos dias 7, 8 e 9 de novembro no mesmo espaço.

Na categoria instalação, são apresentadas "Kaspar: A Palavra Soprada | Intervalo", de Alexandre Pieroni Calado e João Ferro Martins, respetivamente, na Latoaria de 2 a 5 de novembro, e na Appleton Square inaugura, no dia 18 de novembro, (   )3, uma instalação de João Cristóvão Leitão e João Pedro Fonseca.

Nesta edição apresentam-se duas novas linhas de programação, uma mostrando filmes sobre o trabalho de artistas (“Perguntas Difíceis” de João Meirinhos sobre uma peça Rui Catalão; "Nunca as minhas mãos ficam vazias”, de Miguel Munhá, que segue o percurso de Faustin Linyekula; e “Silêncios do Olhar” de José Nascimento, que acompanhou a vida e obra de José Álvaro Morais) e exibindo curtas-metragens de antigos alunos da Escola Superior de Teatro e Cinema, no Cinema Ideal. Esta mostra em parceria com a ESTC vai continuar em 2018 e nas edições posteriores com a projeção de filmes em película na Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema, dando a conhecer o arquivo da escola.

Ainda na área do cinema, destaque para o programa "Prix Studio Collector | Le Fresnoy", na Fundação Leal Rios, composto por filmes premiados de alunos desta escola de Lille, França. Esta é uma das mais importantes escolas de artistas que trabalham a imagem em movimento.

Até ao dia 15 de novembro está a decorrer a open call para o LOOPS.LISBOA, um convite para artistas submeterem obras que explorem o conceito de “loop”. Os três trabalhos finalistas são exibidos no Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado, a partir do dia 5 de dezembro e uma dessas propostas recebe o Prémio do Júri, no valor de 2000€. O júri do LOOPS.LISBOA 2017 é composto por Emília Tavares (Curadora MNAC), Jesse James (Diretor Festival Walk & Talk Açores) e Jorge La Ferla (Curador e Professor da Universidade de Buenos Aires).

O Festival Temps d’Images foi construindo ao longo do tempo uma significativa rede de parceiros e estreitando relação com artistas e criadores, o que tem permitido criar, ao longo dos seus quinze anos de atividade, um espaço único no panorama da programação cultural e artística portuguesa, tanto em termos de identidade como das dinâmicas que cria e potencia. 

Os espaços que acolhem o Temps d'Images 2017 são: Appleton Square, Biblioteca de Marvila, Cinema Ideal, Fundação Leal Rios, Latoaria, Maria Matos Teatro Municipal, Mise en Scène, Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado, Negócio ZDB, Rua das Gaivotas 6, São Luiz Teatro Municipal, Teatro da Trindade e Teatro Nacional D. Maria II.

O Temps d’Images é uma produção da Duplacena.

Programação completa e informações úteis podem ser consultadas no site oficial do festival
Agenda
Ver mais eventos

Passatempos

Passatempo

Ganhe convites para a antestreia de "O CASTELO DE VIDRO"

Em parceria com a PRIS Audiovisuais oferecemos neste passatempo convites duplos para a antestreia que se realiza no próximo dia 18 de outubro (quarta-feira), em Gaia e Lisboa. Findo o passatempo, divulgamos aqui os nomes dos vencedores! 

Visitas
32,038,177