"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Exposições

“Nova linguagem pictórica” em Macau

Projeto que Natália Gromicho apresenta na Fundação Oriente em Macau, com início previsto no dia 22 de Junho e inauguração no dia 30 de Junho. A evolução da exposição será partilhada diariamente nas páginas das redes sociais da artista e da Fundação Oriente.

30 Jun

Casa Garden - Fundação Oriente, Macau

É necessário trazer novas formas de criação artística á pintura, para além de novas técnicas, novos materiais, métodos alternativos, é também inovador, propor ao artista a criação da obra fora da sua zona de conforto e pedir que crie, num ambiente completamente novo, numa cultura nova, uma coleção de obras com base nessas influencias, é essa a proposta a que a artista se propõe. A criação desta coleção é feita de porta aberta, de forma ao visitante, assistir à criação das obras, através de pintura ao vivo. Desta forma, os visitantes são convidados a assistir a todo o processo, desde o inicio até ao fim da criação da obra e posteriormente á exposição de toda a coleção.

Ao longo do processo, o curador recolhe os dados para que todo o processo seja descrito na inauguração da exposição.

 

Acerca da Natália Gromicho

Artista multitalentosa, Natália Gromicho estudou pintura, na Faculdade de Belas Artes e Escola ArCo em Lisboa, a qual é muitas vezes descrita como mágica.

Comemorou 20 anos de carreira o ano passado, é uma das artistas contemporâneas portuguesas com mais destaque a nível mundial, tendo representado Portugal em várias exposições internacionais, como em Itália (na maior exposição de direitos humanos do mundo – “Human Rights Exhibition”), no Brasil (na maior exposição da América do Sul de arquitetura e artes – “Casa Cor São Paulo”), na Austrália (“Adelaide Fringe Festival”), em Miami (“World Tour Exhibitions Contemporary Artists”), em Londres (Hay Hill Gallery), Nova Deli (Instituto Cervantes), Díli (“Direitos Humanos” exposição da Embaixada Portuguesa), Russia (Bibilioteca estatal de Moscovo), Singapura (exposição, leilão e representação pela ArtZ Space), França (comemoração do dia de Portugal no Consulado de Portugal) entre outras.

Natália Gromicho tem a sua obra representada por todo o mundo, destacando-se Portugal, Brasil, Espanha, Estados Unidos, Inglaterra, França, Itália, Holanda, Austrália, Emirados Árabes Unidos, Singapura, Xangai, Índia e Timor Leste.

Website: www.nataliagromicho.com

 

Acerca do Museu Oriente

A delegação da Fundação Oriente na Região Administrativa Especial de Macau, aberta em simultâneo com a instalação da Fundação Oriente em Lisboa, tem cumprido um variado plano de actividades nas áreas cultural, social e educativa, quer através de iniciativas próprias por si organizadas quer através da concessão de subsídios a entidades públicas e privadas.
No domínio do ensino e da formação, a Fundação tem uma intervenção decisiva em dois projetos que visam garantir a ligação de Macau a Portugal. Trata-se do Instituto Português do Oriente (IPOR) e da Escola Portuguesa de Macau.
O primeiro garante desde 1989 o ensino do português como língua estrangeira através de um curso de seis anos e de outros cursos dirigidos a áreas profissionais específicas. O Instituto Português do Oriente assegura ainda o apoio aos leitorados de português na República Popular da China, para além de pôr em prática um programa de actividades culturais de apoio à difusão do português. O IPOR abriu e mantém em Macau a Livraria Portuguesa.
A Escola Portuguesa de Macau, criada em 1998, assegura o ensino curricular em língua portuguesa aos níveis primário, básico e secundário, disponibilizando assim uma infraestrutura básica determinante para a permanência das comunidades portuguesa e macaense. A Escola Portuguesa é dirigida pela Fundação Escola Portuguesa de Macau, na qual participam o Ministério da Educação, a Fundação Oriente e a Associação Promotora da Instrução dos Macaenses.
Como centro das suas actividades, a delegação dispõe de um edifício classificado - a Casa Garden - adquirido à Administração Portuguesa no final da década de 80 do século XX.
A Casa Garden é um dos mais notáveis exemplares do património arquitetónico macaense de raiz europeia. A sua edificação remonta à segunda metade do século XVIII, tendo sido inicialmente propriedade de uma família da aristocracia portuguesa. Alugado mais tarde à britânica Companhia das Índias Orientais, foi sucessivamente local de apoio à estada em Macau de embaixadas à Corte Imperial e sede de diversos organismos da Administração de Macau.
 A Casa Garden dispõe de uma galeria de exposições temporárias e de um auditório destinado a conferências e espetáculos culturais de música, cinema ou teatro.
Morada: Praça Luís de Camões, 13, Macau, República Popular da China
Tel. +853 28 55 46 91 / 28 55 46 99
E-mail: fom@macau.ctm.net

 

Agenda
Ver mais eventos
Visitas
31,287,592