"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Notícias

Trás-os-Montes a deslumbrar Locarno

O cinema português continua em alta em Locarno e está entre os favoritos.

Um documentário que parte do Guia de Portugal


Miguel Moraes Cabral. Mais um nome da nova geração de cineastas para fixar. O Festival de Locarno já o descobriu e selecionou a sua curta-metragem O Homem de Trás--os-Montes (passou na competição do IndieLisboa) para a secção Fora de Concurso. Uma curta de meia hora que nos conta a história de um cineasta apaixonado pela região do título. Ele e a sua equipa de filmagens vão tentar fazer um documentário através do Guia de Portugal. Um Portugal envolto em lendas e tradições.

O Homem de Trás-os-Montes revela uma segurança admirável e é capaz de convocar alegorias estimulantes. O cineasta já antes tinha filmado a mesma região, no documentário Os Caminhos de Jorge (2013). Agora, usa a ficção para de alguma forma dar prolongamento ao primeiro filme. Ao mesmo tempo, observa e brinca com alguns códigos do cinema português (há muita ironia no filme dentro do filme e na maneira como os jovens cineastas procuram a alquimia da nossa etnografia). Uma comédia também muito alavancada pela presença de Miguel Nunes, o Lobo Antunes de Cartas da Guerra, sem dúvida um dos rostos mais fiáveis do nosso cinema.

Se ontem foi o dia de Moraes Cabral, o começo do festival foi abalado por um filme português na secção Cineastas do Presente, o já "infame" Verão Danado, de Pedro Cabeleira, viagem radical aos temas de uma juventude atual. Uma primeira obra feita de gestos livres e com um tempo intoxicante de cinema. Um belo batismo internacional para um jovem de 25 anos que quis fazer uma longa-metragem logo após o curso da Escola de Cinema. Esta crónica alucinada com sexo, drogas e música eletrónica foi feita sem apoios e é das grandes descobertas do novíssimo cinema português. Nos corredores de Locarno, fala-se que é um dos favoritos ao palmarés.

Vencedores, para já, foram os homenageados. Locarno é um festival muito elitista e erudito mas adora galas de homenagem. Nastassja Kinski recebeu o Leopardo de Honra. O arranque de Locarno também prestou tributo ao ator Adrien Brody, que depois do Óscar há 15 anos por O Pianista, de Roman Polanski, parece amaldiçoado, e ao realizador americano Todd Haynes, autor de Veneno (1991) e de Wonderstruck, visto neste ano em Cannes. Desilusão foi seguramente 9 Dedos, de F.J. Ossang, filme francês com coprodução portuguesa, a cargo da Bando à Parte e com a participação do ator Diogo Dória. Uma aborrecida mistura de BD, noir e ficção científica com um look que clama por bafio. A terra de ninguém de Ossang está vazia, mesmo com a presença "fantástica" de Paul Hamy.


por Rui Pedro Tendinha em Locarno, in Diário de Notícias | 9 de agosto de 2017

Notícia no âmbito da parceria Centro Nacional de Cultura | Jornal Diário de Notícias

Agenda
Ver mais eventos

Passatempos

Passatempo

Antestreia do filme A PARTIR DE UMA HISTÓRIA VERDADEIRA

Baseado no romance de Delphine de Vigan este filme foi a aposta do Festival de Cannes para ser o filme de encerramento da seleção oficial, extracompetição. Em parceria com a PRIS Audiovisuais, oferecemos convites para a antestreia em Gaia e Lisboa, dia 20 de dezembro. Habilite-se a ser um dos felizes contemplados!

Passatempo

Ganhe convites para o musical POCAHONTAS

Em parceria com a Yellow Star Company, oferecemos convites duplos para esta peça de teatro musical que está em cena até 30 de dezembro, nos cinemas UCI do El Corte Inglés, em Lisboa. Participe e... boa sorte!  

Visitas
32,422,665