"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Roteiros

CIRCUITO TURÍSTICO DA ARTE RUPESTRE E DAS MINAS DE OURO

À descoberta das memórias tão abundantes nesta a região que, histórica e arqueologicamente falando é rica em vestígios, ruínas e minas de ouro a céu aberto.

1º Dia 

Saída de Vidago pela E.N. 311 até à Praia Fluvial de Vidago, voltar para Souto Velho, Anelhe e Curalha, aí visitar o Castro Lusitano-Romano de Curalha.
À direita, a cerca de 1500m, na pedra de Outeiro Machado, podem observar-se inúmeras gravuras rupestres inscritas na rocha. Perto este local existem cortas das minas romanas de ouro a céu aberto.
Depois, seguir pela E.M. 535 até Soutelo, Seara Velha e Ardãos, visitar a Vila Romana de Susana e o Castro do Muro. Entre Calvão e Lama da Campina surgem diversos motivos de interesse: Capelas de Paimogo, Santuário de S. Caetano, Vilas Romanas dos Pardieiros e do Carvalhal e a Igreja de Soutelinho.
Chegando a Sanjurge, pode ver, além da Capela de Nossa Senhora do Rosário (destaque para os frescos), gravuras rupestres na rocha. Terminar esta fase do itinerário indo para Chaves.

2º Dia

Partida de Chaves pela E.M. 506 indo para Outeiro Seco. Visitar a Igreja românica de Nossa Senhora da Azinheira (com frescos).
Não longe daí existe o Castro de Santana.
Seguindo para Vale de Lagares e Campo Queimado podem visitar-se mais cortas de minas romanas de ouro.
Depois ir direito à Veiga de Chaves, atravessar rio Tâmega, até atingir Mairos (significativo local castrejo).
De regresso a Chaves, diversos locais surgem com interesse, como: o Castelo de Monforte e o Castelo Santo Estevão.

Agenda
Ver mais eventos
Visitas
31,460,272